Cadeia de suprimentos digitais

Publicado em

20.3.2021
Carla Cristina Oliveira de Almeida

Carla Cristina Oliveira de Almeida

Logística Petrolífera | Logística Reversa | Supply Chain | Palestrante | Escritora | Conteúdo Interativo

Supply Chain Management com a logística online

A formatação da logística dentro dos processos operacionais digitais permite um fluxo de informações entres seus participantes mais enxuto, fluindo através da comunicação via de mão dupla entre FORNECEDORES, INDÚSTRIA, DISTRIBUIDORES/ATACADISTAS.

Vindo buscar a integração existente entre esses elos participantes, a troca na comunicação é recíproca por conta da quantidade de informações diárias que as vendas online proporcionam, mantendo assim a movimentação intensa de materiais dentro da cadeia de suprimentos de cada um dos responsáveis.

Armazenagem de materiais: gestão de estoque/processo de separação (picking)/dimensionamento e controle

O processo de gerenciamento de pedidos otimizado reduz os custos e aumenta a satisfação dos clientes. Para que o processo seja o mais competente possível é necessária sua automatização através de um sistema de gestão que tenha a capacidade de processar ordens eficientes para o alcance do sucesso no processamento dos pedidos de venda, que contemplam desde a seleção do produto no estoque, passando pela embalagem e o envio, finalizando na reordenação do banco de itens estocados.

Qual é o momento certo de fazer a compra para reabastecer o estoque?  Sem deixar zerar e com a continuidade da demanda, não acontecem rupturas do estoque a partir do momento em que se faz um estoque de segurança que só deve ser usado para uma emergência eventual.

Verificando o tempo operacional de entrega (lead time) do produto, são criados pontos de pedidos para que o fornecedor tenha tempo hábil de reposição do material.  Quanto mais variável o consumo, maior deve ser o estoque de segurança, pois caso o fornecedor atrase a reposição do estoque dentro do cálculo feito do lead time, não haverá a ruptura do mesmo.  Importante salientar que o lead time é diretamente proporcional ao tamanho do estoque, ou seja, quanto menor o lead time, melhor o controle dos materiais armazenados.  Porém, deve-se atentar também para o fornecedor que não cumpre com o seu prazo de reposição da matéria prima, atrapalhando a produção.  Desta forma é necessário aproximar os fornecedores para as operações com a intenção de diminuir o tempo de entrega até o consumidor final e manter um estoque mais enxuto (JIT – just in time).  Caso contrário, avaliar a possibilidade de troca de fornecedor, procurando outros que tenham mais potenciais e comprometimento com o trabalho dentro de um plano de ação mais eficiente.

No processo de separação de materiais para o atendimento dos pedidos de venda, o operador é quem determina o ritmo da operação, quando iniciar e como se estabelecer a mesma.  Tecnologia no nosso país ainda é um item muito caro, assim, a empresa fica atrelada na dependência do trabalho manual em papel.

Empresas que trabalham com produtos de valor agregado alto necessitam que tenham sistemas de informação para garantir a acurácia do saldo de estoque, não dependendo tanto da mão de obra operacional, evitando problemas de compras e reposição de peças.  Através de um coletor de dados, o operador segue as instruções que o sistema informa, confirmando os códigos de barras daquele certo endereço onde o material se encontra, indicando o quanto foi utilizado do item, dando a baixa automática no estoque.

As vantagens do gerenciamento de pedidos dentro de um estoque automatizado são:

  • Agilização de pedidos com o processamento de uma ordem recebida e comunicada de imediato;
  • Facilitação na comunicação interna através de um sistema capaz de atender as demandas dos pedidos feitos por consumidores (e-commerce, call centers) sem falhas;
  • Auxílio no inventário evitando ordens repetidas ou falta do item desejado, garantindo maior assertividade;
  • Compactação do banco de dados acessado por todos os responsáveis, reduzindo tempo, recursos e os riscos;
  • Automatização de pedidos eliminando o maior número de etapas manuais, otimizando a cadeia produtiva;

A palavra chave para a consolidação do sucesso empresarial é o planejamento, estando sempre atentas a todas as etapas operacionais após a compra, mantendo o alinhamento das equipes responsáveis pelos processos operacionais, até que o produto seja disponibilizado ao cliente final sempre em tempo hábil e cumprindo com o combinado no fechamento do pedido.

As vantagens do gerenciamento de pedidos dentro de um estoque automatizado são:

  • Agilização de pedidos com o processamento de uma ordem recebida e comunicada de imediato;
  • Facilitação na comunicação interna através de um sistema capaz de atender as demandas dos pedidos feitos por consumidores (e-commerce, call centers) sem falhas;
  • Auxílio no inventário evitando ordens repetidas ou falta do item desejado, garantindo maior assertividade;
  • Compactação do banco de dados acessado por todos os responsáveis, reduzindo tempo, recursos e os riscos;
  • Automatização de pedidos eliminando o maior número de etapas manuais, otimizando a cadeia produtiva;

A palavra chave para a consolidação do sucesso empresarial é o planejamento, estando sempre atentas a todas as etapas operacionais após a compra, mantendo o alinhamento das equipes responsáveis pelos processos operacionais, até que o produto seja disponibilizado ao cliente final sempre em tempo hábil e cumprindo com o combinado no fechamento do pedido.

Transporte:  quais alternativas para o melhor gerenciamento do pátio?

O e-commerce aumentou de demanda e as Deliveres precisam entregar seus produtos.  A tecnologia mudou a gestão empresarial fazendo com que os processos operacionais de gerenciamento de pátio fiquem mais inteligentes e rápidos, surgindo a necessidade de aperfeiçoar o fluxo de cargas nos estacionamentos.

A preocupação com a logística e a gestão de pátios é extremamente relevante, devendo ser levada em consideração e realizada de forma correta para não gerar a perda de produtos e nem prejuízo financeiro.

Por estes motivos a escolha de sistemas informatizados para auxiliar este complexo processo deve levar em consideração alguns pontos, como: entender o suporte oferecido pelo programa, avaliar as principais necessidades operacionais, analisar a usabilidade do sistema e a reputação da prestadora do serviço no mercado.  Os serviços informatizados pelos sistemas de gerenciamento automatizado de pátios deve oferecer uma boa quantidade de opções para integrar os setores operacionais, otimizando os processos de carga e de descarga, facilitando a coleta de dados e o armazenamento dessas informações.

O mercado precisa de mecanismos rápidos de entrega, através de uma competitividade séria e saudável, onde o cliente final tenha a certeza de que pagará pelo serviço que será entregue conforme o planejamento estipulado anteriormente.  Por este motivo, o gestor deve levar em consideração a relação de parceria e a confiança que serão estabelecidas com a empresa de informatização, avaliando os riscos de uma implementação de software na logística de transportes que é diretamente ligada à cadeia de suprimentos que necessita da gestão planejada para ser efetiva.

Produção operacional:  Previsibilidade da demanda através da utilização da Inteligência Artificial (AI)

O objetivo da Inteligência Artificial no mundo corporativo é renovar as tecnologias existentes na logística por meio de softwares que desempenham comportamentos criando conexões entre as informações operacionais.

O comportamento dos clientes é influenciado por todas essas novas tendências e por isso, as empresas dedicam tempo e recursos, projetando algumas expectativas compatíveis.

Desenvolvendo estimativas com base no consumo de períodos anteriores, as informações coletadas tem relação direta nos processos logísticos, como:

  • Espaço para a alocação de produtos fabricados;
  • Planejamento na distribuição conforme demanda de pedidos de venda;
  • Dimensionamento de volume a ser fabricado para o devido armazenamento;
  • Programação de entregas evitando estoques excedentes.

Voltando o foco para a produção enxuta, a redução de insumos e a produção armazenada são pontos essenciais para o sucesso das organizações.  A abordagem empurrada (Push System) é a mais utilizada pelas organizações porque a sua capacidade abastece o mercado conforme a demanda necessária dos clientes e com a ajuda da tecnologia avançada os níveis de estoque não são excedentes.

Uma estratégia muito interessante utilizada pelo marketing promocional das empresas é o chamado Sell Out, pois baseia-se na venda direta de produtos que vai do ponto inicial para o ponto final, gerando o aumento de uma margem líquida maior nos lucros empresariais, não havendo assim a necessidade de intermediário nas vendas.  Destacando para o fato da possibilidade de colher informações características diretamente com o consumidor (tamanho, cor, forma de pagamento, etc), as tomadas de decisões são melhores orientadas e as escolhas estratégicas mais específicas para cada grupo de clientes, podendo assim desenvolver canais de vendas e comunicação com marketplaces ou através de e-commerces.

Algumas das ações que facilitam as empresas com a utilização do Sell Out em suas operações logísticas, são:

  • Agilidade nas tarefas e despacho dos produtos;
  • Uso de tecnologia que alavancam ganhos profissionais e produtivos;
  • Desenvolvimento do Branding, através de ações alinhadas ao posicionamento, propósito e valores da marca, associados aos valores dos consumidores, que acabam por fortalecer oportunidades de ativação;
  • Minimização de ruptura do estoque diante da previsão de vendas baseadas em seus consumidores.

A informação descentralizada fornece dados relevantes que são compartilhados pelos responsáveis, auxiliando a logística dos processos operacionais da Cadeia de Suprimentos a utilizar de estratégias eficazes para o bom desenvolvimento da organização.  Ao passo que, quando vários processos são avaliados de forma manual ou através de sistemas diferenciados, o resultado é de retenção de grande volume de dados importantes, que são geridos por cada setor especificamente, impedindo a troca de informações pela empresa, causando uma dificuldade na avaliação eficaz das atividades internas e a melhoria de tomada de decisões.

A Logística Reversa quando bem aplicada evita prejuízos e fideliza o cliente

A importância desta parte da Cadeia de Suprimentos das empresas é primordial para uma boa gestão operacional, podendo causar impacto muito mais eficaz do que apenas a troca ou devolução de produtos.  Gerando um diferencial de destaque no comércio virtual, as empresas socialmente corretas evitam prejuízos e fidelizam clientes cada vez mais satisfeitos.

As plataformas de e-commerce buscam melhorar cada vez mais, oferecendo comodidade e a garantia dos direitos do consumidor, oferecendo também soluções integradas para ampliar a satisfação no momento da compra.

Clientes mais antenados e conscientes de seus direitos procuram adquirir produtos de empresas idôneas, assegurando o cumprimento dos termos acordados, garantindo a troca ou devolução sem custos adicionais.

O processo de reversão do produto é bem complexo e deve passar por um caminho que inicia no estoque e vai até o setor financeiro, contendo um código único para a devida e imediata identificação em todas as etapas necessárias, sendo assim readmitido ao estoque operacional ou efetuando o reembolso do valor pago com agilidade.

Conclusão

Com a nova Revolução Industrial acontecendo através da Logística 4.0 no cotidiano corporativo, a expansão das marketplaces e o aumento de vendas pelo e-commerce facilitam a usabilidade dos canais de vendas por meio de móbiles variados, personalizando as páginas de acesso conforme as característica específicas dos comportamentos de compra dos consumidores.

Os novos recursos tecnológicos vieram com força e para ficar, fazendo parte definitivamente da vida operacional e gerencial de todos os processos dentro de uma Cadeia de Suprimentos, mostrando-se através de ferramentas de Inteligência Artificial cada vez mais promissoras.

Aperfeiçoando processos operacionais e estratégicos, as novas tecnologias surgem como solução para a análise do fluxo de informações e a automatização das atividades operacionais, agregando novas funcionalidades à execução dos trabalhos.

Finalizando a leitura deste artigo, a autora lista nove benefícios que empresas automatizadas alcançam em seus processos logísticos, a saber:

  1. Redução de custos para melhorar a saúde empresarial a médios e longos prazos;
  1. Diminuição de erros gerando melhoria na precisão de resultados;
  1. Satisfação do cliente diminuindo o índice de reclamações;
  1. Melhoria da produtividade diminuindo etapas manuais nos processos;
  1. Comunicação integrada através de informações que permitem visão macro por todos os participantes;
  1. Gerência de processos padronizados e ágeis em todos os níveis, podendo ser implantadas melhorias constantes;
  1. Riscos otimizados reduzindo os danos e prejuízos que possam impactar a imagem empresarial;
  1. Tomada de decisão precisa e assertiva através de relatórios que averiguam dados importantes dos processos logísticos;
  1. Estoques controlados por softwares de automação que precisam as informações de entrada/saída e eventuais perdas.

Impulsione sua carreira em Logística e Supply Chain
A logschool oferece mais de 100 horas de cursos online de logística e supply chain para você assistir quantas vezes quiser.
VEJA OS CURSOS